Fui vítima de fraude bancária, o que fazer?

Advogado Especialista em Direito Imobiliário
27/07/2018
Como se divorciar quando se tem filhos
25/05/2019

r

Fui vítima de fraude bancária, o que fazer?

Fui vítima de fraude bancária, o que fazer?

 

Fui vítima de fraude bancária, o que fazer? Você já deve ter sido ou conhece alguém que já foi vítima de fraude bancária. A questão que vem a seguir é: O que fazer?

Neste artigo, vamos te ajudar a pensar neste momento de pura indignação.

 

Fraudes Bancárias

Basicamente uma fraude acontece quando pessoas de má fé conseguem alguma vantagem passando-se por terceira pessoa ou enganando alguém. Normalmente acontece quando os fraudadores obtêm os dados pessoais da vítima de fraude bancária.

Tratando-se de brasileiros, a criatividade não tem limites. Por exemplo são pessoas ligando e pedindo dinheiro, enviando e-mails, tomando serviços usando dados falsos, enfim tem de tudo.

 

Tipos de Fraude Bancária

Fraude Bancária pela Internet

A forma mais comum desse tipo de fraude acontece quando, por exemplo,  a pessoa recebe um e-mail, que tem por objetivo captar os dados pessoais da possível vítima de fraude bancária.

Nessa forma de fraude, o fraudador acaba utilizando os dados para obter financiamento, contrair empréstimo, contratar serviços e pode até tentar entrar na conta bancária da vítima.

Por outro lado evite preencher formulários de remetentes desconhecidos, instale anti-virus e procure evitar de fornecer dados em qualquer hipótese.

Atualmente, os bancos digitais estão em alta, principalmente entre as pessoais mais jovens. Embora tenham procedimentos seguros, é bom ter esclarecimentos para ter certeza que os bancos digitais são seguros.

 

Fraude bancária contra pessoa que tem ação na justiça

Um golpe extremamente criativo, é aquele em que a vítima de fraude bancária recebe uma correspondência física, por exemplo uma carta, pelo correio na qual trata-se de uma “intimação” da justiça, informando que há uma “quantia liberada para saque” e que para ter acesso, a vítima de fraude bancária terá que fazer alguns procedimentos e dentre eles depositar a quantia das “custas judiciais”.

Normalmente, as pessoas que tem ação na justiça em andamento pensam que se trata de seu processo, geralmente uma ação muito antiga, e acabam caindo no golpe.

Embora seja de bom tom, para não cair neste golpe, antes de efetuar o pagamento de qualquer “custa”, a pessoa deve informar ao seu advogado.

 

Fraude da fatura de cartão de crédito ou boleto falsificado

A vítima de fraude bancária recebe um boleto ou fatura do cartão de crédito, por exemplo, aparentemente verdadeira, ocorre que os dados bancários para crédito do título são de outro credor.

Ao usar os dados bancários para o pagamento da fatura, a vítima é enganada pensando que pagou corretamente, no entanto o crédito foi para o fraudador.

Logo, fica a dica então para procurar deixar os boletos em débito automático, observar o número do banco, que fica logo no início do código de barras e deve ser o código correspondente ao nome do banco que aparece no título.

 

Fraude bancária sobre empréstimo

Muito embora os bancos afirmem serem seguros, é  comum, as fraudes acontecerem sem que a vítima tenha necessariamente facilitado a atuação do fraudador.

É o caso da fraude bancária que se dá quando consta um débito em sua conta corrente sem que você tenha autorizado.

No entanto, só depois de algum tempo é que você percebe e não consegue nem imaginar o que aconteceu. Neste caso, deve-se imediatamente comunicar ao banco e pedir o imediato ressarcimento.

Geralmente as maiores vítimas de fraude bancária são os funcionários públicos,  pensionistas e aposentados.

Na maioria das vezes, os bancos são obrigados a devolver o valor.

 

Fraude bancária, o que fazer?

Assim que toma conhecimento da existência da fraude bancária, a vítima tem que avisar ao banco da ocorrência.

Por outro lado, outra providência é procurar uma delegacia e registrar um Boletim de Ocorrência fraude bancária.

Quando a vítima de fraude bancária não conseguir a devolução dos valores, a dica é buscar ajuda de um advogado especialista em direito bancário e eventualmente entrar com uma ação judicial.

Por tanto, para entrar com a ação judicial é bom ter tomado algumas medidas iniciais e ter alguns documentos.

Há casos que além dos valores envolvidos, a vítima de fraude bancária tem seu nome inserido injustamente no SPC. Neste caso, a ação judicial deve pedir, além da devolução dos valores perdidos, a imediata retirada do nome do cadastro dos devedores, ou SERASA por exemplo.

 

Como se prevenir da fraude bancária?

Além das dicas já apresentadas, a pessoa pode adquirir hábito de conferir com frequência sua conta bancária. Por exemplo ler atentamente a fatura do cartão de crédito, presta atenção quando efetuar compras pela internet, enfim, desconfiar sempre.

Outras dicas:

-Evite de informar seus dados pessoais em pesquisas, promoções de empresa e de qualquer espécie;

-Nunca informe seus dados pessoais em redes sociais;

-Quando usar os documentos, jamais deixe de tê-los em vista;

-Somente informe seus dados pessoais em sites confiáveis;

-Redobre atenção em comprar pela internet, principalmente em promoções e preços muito baixos.

A Serasa tem um serviço preventivo, que monitora seus dados informando qualquer consulta ou inclusão de seu nome no cadastro dos devedores.

O serviço é muito eficiente e acessível e basta acessar o link www.serasaconsumidor.com.br para se informar:

Ficou alguma dúvida? Entre em contato.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.