O que muda com a nova previdência

5 Dicas para processar banco
31/08/2019
Reforma da previdência 2019
04/10/2019

O que muda com a nova previdência

 

O que muda com a nova previdencia

O que muda com a nova previdência

 

Neste artigo vamos compreender o que muda com a nova previdência. Em agosto de 2019, a reforma está no senado, mas já dá pra prever o que pode mudar.

A mudança na previdência é necessária pra para limitar o rombo do INSS e dos regimes próprios dos servidores públicos.

Muito além de mudar a lei atual previdenciária, o governo quer também criar um novo regime, de capitalização.

Por outro lado, ainda pouco conhecido, o regime de capitalização baseia em contas individuais de previdência, acessível apenas novos trabalhadores.

Embora tenha sido proposto, não foi aprovado na Câmara. Então, se quiser implantar a capitalização, o Executivo terá de enviar ao Congresso outra proposta de Emenda à Constituição (PEC).

Apesar de tentar uma mudança radical, algumas categorias permanecerão se aposentando mais cedo. Por exemplo: professores, policiais e militares.

Vamos comentar as regras em geral.

 

Como são as regras antes da Reforma da Previdência

 

1) Aposentadoria por tempo de contribuição

30 anos (mulheres) e 35 anos (homens). Valor do benefício: A média dos 80% maiores salários de contribuição é multiplicada pelo fator previdenciário, que varia conforme a idade e o tempo de contribuição do segurado.

Por exemplo, nessa modalidade, um trabalhador de 61 anos consegue aposentadoria integral se somar 41 anos de contribuição.

 

2) Aposentadoria por idade

60 anos (mulheres) e 65 anos (homens), com mínimo de 15 anos de contribuição. Valor do benefício: 70% da aposentadoria integral mais 1% por ano de contribuição. Com isso, 30 anos de serviço dão direito à aposentadoria integral;

 

3) Aposentadoria pela Regra 86/96

Nessa regra, somam-se idade e anos de contribuição. Por exemplo, no caso da mulher, se o resultado for 86 ela pode se aposentar – e recebendo benefício integral (equivalente à média dos 80% maiores salários de contribuição).

No caso de homem a soma tem de ser de 96.

 

Essas regras de aposentadoria iniciaram em 85/95 e passaram a ser elevados a cada dois anos a partir do fim de 2018, até chegar a 90/100 do fim de 2026.

A contribuição à Previdência varia de 8% a 11% do salário, limitada ao teto do INSS (de R$ 5.839,45 em 2019).

 

 

Como ficaram as regras com a nova previdência

 

Aposentadoria por idade

Não haverá mais aposentadoria por tempo de contribuição no geral, exceto algumas categorias.

Logo, haverá idade mínima para aposentar: aos 65 anos para homens e 62 anos para mulheres, com mínimo de 15 anos de contribuição.

A exceção é para homens que ingressarem no mercado de trabalho após a vigência das novas regras: Por exemplo eles terão que contribuir por, no mínimo, 20 anos.

 

Valor da aposentadoria

Para a Mulher: 60% da média dos salários de contribuição mais 2% para cada ano que exceder os 15 anos de contribuição; com isso, 35 anos de contribuição dão direito à aposentadoria integral, isto é, de 100% da média salarial.

No exemplo de homem: 60% da média dos salários de contribuição mais 2% para cada ano que exceder 20 anos de contribuição; com isso, 40 anos de contribuição dão direito a aposentadoria integral.

Quanto à contribuição para a Previdência, esta será variada, dependendo da faixa salarial. Por exemplo de 7,5% (para quem ganha até um salário mínimo) e chegando a 11,68% (incidente sobre a faixa salarial que vai até R$ 5.839,45, o teto do INSS em 2019).

 

Regras de transição para a nova previdência.

A nova previdência trás regras para equilibrar tornando mais justa para aqueles que já estão próximos de se aposentar.

 

1) Regra por pontos (86/96 progressiva)

Mulheres que atingirem 86 pontos na soma de anos de idade e contribuição.

Homens que alcançarem 96 pontos, desde que tenham pelo menos 30 e 35 anos de contribuição, respectivamente.

A partir de 2020, esses pontos serão aumentados em um ano a cada ano (87/97, depois 88/98 e assim por diante), até chegar a 105 para homens em 2028 e 100 para mulheres em 2033, conforme tabela abaixo.

O benefício será calculado conforme a nova regra permanente.

Regras de transição para a nova previdência.

ano   mulheres  homens

2019       86          96

2020       87          97

2021       88          98

2022       89          99

2023       90          100

2024       91          101

2025       92          102

2026       93          103

2027       94          104

2028       95          105

2029       96          105

2030       97          105

2031       98          105

2032       99          105

2033       100        105

 

2) Regra por idade e tempo de contribuição

Idade mínima começa em 56 anos para mulheres e 61 para homens, mínimo 30 e 35 anos de contribuição, respectivamente.

Essa regra subirá seis meses a cada ano, até chegar a 62 e 65, respectivamente, conforme tabela abaixo.

De acordo com a nova previdência, então o valor do benefício será calculado conforme a nova regra permanente.

ano       mulheres      homens

2019             56          61

2020            56,5       61,5

2021             57          62

2022            57,5       62,5

2023            58          63

2024            58,5       63,5

2025            59          64

2026            59,5       64,5

2027            60          65

2028           60,5       65

2029            61          65

2030           61,5       65

2031           62          65

3) Nova previdência Pedágio de 50%

Somente para quem – na data da promulgação da reforma – estiver a no máximo dois anos de se aposentar por tempo de contribuição.

Por exemplo, o trabalhador pagará um “pedágio” de 50%.

Uma mulher com 28 anos de contribuição, por exemplo, teria de trabalhar mais dois para se aposentar pela regra atual.

Após a reforma da previdência, terá de trabalhar um ano adicional (50% de dois anos), totalizando, assim, 31 anos de contribuição.

Valor da aposentadoria: calculado pelas regras atuais, com incidência do fator previdenciário após cumprimento do “pedágio”.

 

4) Nova previdência Pedágio de 100%

Mulheres com pelo menos 57 anos de idade e homens com 60 ou mais poderão pagar um pedágio de 100% sobre o tempo de contribuição que falta para se aposentar pelas regras atuais.

Assim, se faltavam quatro anos de contribuição, o segurado terá de trabalhar por outros quatro adicionais.

 

5) Nova Previdência Por idade

Os homens poderão se aposentar aos 65 anos. Por outro lado, as mulheres, a partir dos 60, para elas a exigência sobe meio ano por ano a partir de 2020, até chegar a 62 anos de idade, em 2023.

Para ambos os sexos, o tempo mínimo de contribuição será de 15 anos.

A nova previdência ainda não está completamente aprovada, portanto não há como ter certeza de todas as mudanças neste momento. Se ficar alguma dúvida entre em contato conosco.

As informações sofram obtidas no site Gazeta do Povo. www.gazetadopovo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.